ABES

http://abes-sp.org.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/495966banner_socio.giflink
http://abes-sp.org.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/330350economiaagua.jpglink
http://abes-sp.org.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/514816banner_1.jpglink
http://abes-sp.org.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/611994jps080916.jpglink
http://abes-sp.org.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/283592241326diadesol2015.jpglink
Home Notícias Notícias ABES 3º workshop sobre qualidade de produtos químicos utilizados em tratamento de água é realizado em São Paulo
3º workshop sobre qualidade de produtos químicos utilizados em tratamento de água é realizado em São Paulo PDF Imprimir E-mail
Sex, 07 de Novembro de 2014 12:43

A Câmara Temática de Qualidade de Produtos Químicos da ABES promoveu em São Paulo, nesta quinta-feira, 6, o III workshop “Laboratórios de 3ª parte - Como avaliar e comprovar se a qualidade dos produtos químicos para tratamento de água potável atende às exigências da portaria 2914, segundo os requisitos da NBR 15784”. O evento, que lotou o auditório Eng. Tauzer Garcia Quinderé, da Sabesp, contou com uma plateia formada por fornecedores, consumidores e representantes de laboratórios de várias partes do país.

O presidente da ABES, Dante Ragazzi Pauli, ressaltou a importância das Câmaras Temáticas da entidade para o Brasil. “A Câmara Temática de Qualidade de Produtos Químicos tem desempenhado um trabalho que acabou virando referência para o país”, afirmou. “É impressionante o respeito adquirido. Isso engrandeceu o setor e a ABES. É um papel fundamental e muito interessante. Temos que capacitar o Brasil, fazer as pessoas entenderem o que é saneamento”, pontuou.

Alceu Guérios Bittencourt, presidente da ABES-SP, destacou o esforço da Câmara Temática em questão em colocar em pauta esta discussão. “É exatamente o cerne da nossa missão como associação: discutir as medidas públicas do setor, as questões tecnológicas e científicas e tentar contribuir como profissionais e como entidade.”

IMG 0229 - Cópia

 

Mesa de abertura do evento

A Câmara Temática, de acordo com sua coordenadora geral, Maria Cristina Coimbra Marodin, tem trabalhado fortemente desde 2004 para operacionalizar a exigência Legal da Portaria de Potabilidade quanto à qualidade dos produtos químicos utilizados em tratamento de água potável, por meio desses eventos. “Temos conseguido operacionalizar isso, criando documentos, unificando propostas que estão sendo muito bem aceitas pelo Ministério da Saúde”, afirmou.

O evento é a continuidade de um trabalho iniciado vários anos atrás e que tem dado resultados positivos. “Temos conseguido sensibilizar as operadoras a exercerem sua responsabilidade, fazendo as exigências corretas em seus editais de licitação, conforme a Portaria estabelece; os fornecedores para entrarem nesse processo, levando seus produtos químicos a serem avaliados conforme a norma técnica ABNT exige; e os laboratórios, que não pertencem nem ao consumidor nem ao fornecedor, para participarem também como uma terceira parte, avaliando e atestando a qualidade dessesprodutos”, afirmou Maria Cristina, que é bióloga e especialista em Saneamento Básico.

O workshop foi inteiramente voltado para os laboratórios porque há um longo caminho a percorrer neste sentido, afirma Maria Cristina. “Temos ainda poucas opções [de laboratórios] no país. Precisamos de outros parceiros que entrem nesse processo e façam as coisas acontecerem de verdade no Brasil inteiro”, destaca.

A coordenadora adjunta da Câmara, Vasti Ribeiro Facincani, reafirmou a relevância da iniciativa para maior confiabilidade no processo de avaliação dos produtos químicos utilizados no tratamento de água para consumo humano, conforme as dosagens máximas de uso, informadas pelo fornecedor do produto. “Se não houver uma avaliação correta, não haverá segurança do quanto pode ser dosadodo produto químico na água de abastecimento público que garanta ausência de risco à saúde humana”, ressaltou a especialista em Saneamento Básico, Meio Ambiente e Sociedade.

Vasti acrescentou ainda que fornecedores e consumidores estão procurando cada vez mais fazer a sua parte no quesito controle de qualidade. Enquanto os primeiros executam, os segundos cobram. Os laboratórios de terceira parte, no entanto, de acordo com ela, precisam saber mais sobre o processo de avaliação necessária e sobre o padrão estabelecido para apresentação do laudo de atendimento aos requisitos de saúde. “Este evento é só mais um ponto rumo à proteção da saúde da população abastecida no país. Tem gente de todo o país aqui - consumidores, fornecedores, laboratórios - e isso é bastante representativo. Todos os que precisam ouvir para estarem alinhados nesse cenário. E com Nota Informativa 74 de 28/08/14, o Ministério da Saúde valida e referenda publicamenteo quanto nós somos importantes no processo”, finalizou. 

O encontro na mesa de abertura contou com a presença do engenheiro Fernando Lourenço de Oliveira, superintendente de Gestão e Desenvolvimento Operacionais da Diretoria de Sistemas Regionais da Sabesp, e nos demais trabalhos com as participações de diversos especialistas, que compuseram a mesa de debate, entre eles Elisa Rosa dos Santos, assessora técnica do INMETRO, Ellen Martha Prisch, da NSF Bioensaios Análises e Consultoria Ambiental, Mercedino Carneiro Filho, da Sabesp, Elaine Contiero Ribeiro, do Semae Piracicaba, Cleber Ribeiro Salvi, da Odebrecht Ambiental, Walter Otto Pereira Barty, da Unipar Carbocloro, Marco Aurélio Venditti, da Bauminas Química, Rogério Joroski, da Clanox Ind. Com. Produtos Químicos e Edivan Tohni, da Bioagri – a Mérieux NutriSciences Company.

1510964 1048586345158111 389622662960059061 n - CópiaAo final, os palestrantes se reuniram em uma mesa de debates

 

 

Eventos

«   Maio 2019   »
dstqqss
   1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
 
Veja mais eventos

Receba nossos informativos

Rua Eugênio de Medeiros, 242 - 6º andar - Pinheiros - 05425-900
São Paulo - SP
Mapa de localização

Tel / Fax: 11 3814 1872
Fale conosco

ABES-SP - Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental