ABES

http://abes-sp.org.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/330350economiaagua.jpglink
http://abes-sp.org.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/241326diadesol2015.jpglink
http://abes-sp.org.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/514816banner_1.jpglink
http://abes-sp.org.br/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/611994jps080916.jpglink
porno izle
Home Notícias Notícias ABES Engenheira fala aos membros do JPS-SP sobre inovações para universalizar serviços de água e esgoto voltados às populações vulneráveis
Engenheira fala aos membros do JPS-SP sobre inovações para universalizar serviços de água e esgoto voltados às populações vulneráveis PDF Imprimir E-mail
Qui, 18 de Maio de 2017 18:46

A engenheira elétrica Ester Feche Guimarães, doutora em Ciências da Engenharia Ambiental pela USP e assessora de Assuntos Regulatórios na Sabesp, atuando no redesenho de processos para inovação da gestão regulatória, metodologias de temas de subsídios, ativos e tarifas, foi a palestrante convidada do programa Jovens Profissionais do Saneamento da ABES-SP (JPS-SP) desta terça-feira, 16 de maio.

alt

Para enfatizar as dificuldades encontradas no setor, a palestrante apresentou o ‘’Estudo de Empresas de Serviços Públicos na América Latina’’, produzido pelo Banco Mundial. O estudo destaca a crescente urbanização da pobreza, com habitações precárias, a dificuldade financeira, a ausência de estratégias para organizar demanda e oferta, a fragilidade de indicadores, os déficits de governança e a necessidade de mudança e adaptação do modelo de negócio do saneamento.

Para a professora, mudar é necessário aprimorar a legislação e apresentar inovações tecnológicas, técnicas e sociais. “O momento é importante para o setor de saneamento, pois vários contextos das empresas no Brasil estão sendo revistos. Nosso maior desafio é a universalização e lidar com as populações vulneráveis. O modelo de saneamento é importante, mas precisa avançar, trazer mecanismos de subsídios, instrumentos que permitam a execução da política pública de forma que todos os participantes consigam atuar de forma correta, tanto as empresas quanto os agentes reguladores e o poder concedente, seja municipal ou estadual. Se conseguirmos a inovação no contexto social, tecnológico, técnico nas empresas e nos municípios, teremos saneamento para todos, fundos e o serviço público para a população de baixa renda”, destacou.

alt

A estudiosa ressaltou a importância do JPS, que reúne jovens em torno dos temas de Saneamento e Meio Ambiente. “Precisamos olhar a sociedade para termos sucesso e a permanência do setor com eficiência técnica e social. O JPS é um grupo que pode olhar o setor de uma forma inovadora com novos modelos e mudando uma maneira antiga de pensar, para incluir a população com uma governança inclusiva e medir a efetividade das nossas ações com o saneamento.

Thomas Ficarelli, geógrafo e coordenador do JPS-SP, destacou as soluções apresentadas pela engenheira para lidar com a falta de esgoto e de águas entre as populações vulneráveis. ‘’A apresentação foi muito interessante, pois destaca a implantação de redes de água e de esgoto para as populações vulneráveis em áreas irregulares. É um assunto que praticamente fica de fora das políticas públicas, dos dados socioeconômicos que estão disponíveis e do próprio plano municipal de saneamento e das companhias de saneamento básico, sejam municipais ou estaduais. A palestrante apresentou soluções para esse problema por meio de um modelo e que promove a participação da comunidade, beneficiada com relação a esse projeto. O modelo adotado por ela juntou o melhor do técnico e do social. Foi enriquecedor conhecer essa prática’’, afirmou Ficarelli.

Camila Candiles, engenheira ambiental e assessora acadêmica do JPS, comentou os apontamentos da palestrante sobre os gargalos do modelo institucional existente no Brasil para o saneamento. “A Dr. Ester Guimarães compara o modelo institucional do setor de energia elétrica, um modelo fechado e autossustentável, composto por fundos e programas específicos para subsidiar a inclusão social, ao modelo institucional do setor de saneamento, que é carente de mecanismos que subvencionem a universalização do acesso ao saneamento e desconsidera as cidades informais”, destacou. “É impreterível que o modelo institucional do setor de saneamento seja revisto para viabilizar a implementação de políticas públicas efetivas”, completou Camila.

Participe do JPS

O Programa Jovens Profissionais do Saneamento Ambiental (JPS) tem, entre seus objetivos, despertar habilidades e lideranças entre os jovens de até 35 anos que atuam no setor. O programa estimula a participação dos jovens profissionais por meio de reuniões, palestras, seminários e outras atividades, além de possibilitar o contato entre estudantes e recém formados e profissionais experientes do setor.

Mais informações: aqui

 

Eventos

«   Maio 2017   »
dstqqss
 1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
   
Veja mais eventos

Receba nossos informativos

Rua Eugênio de Medeiros, 242 - 6º andar - Pinheiros - 05425-900
São Paulo - SP
Mapa de localização

Tel / Fax: 11 3814 1872 e 11 2729 5510
Fale conosco

ABES-SP - Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental
canakkale sehitleri vergi kanunlari finans denetim exploit vergi kanun mevzuat engelli blog ne zaman emekli olurum denetim mevzuat denetcilik kanun tuzuk yonetmelik exploit sorgula kanun yonetmelik toplu pagerank google sra sorgulama emeklilik coklu toplu pagerank google pagerank pagerank sorgula toplu pr sorgula php script decode encode google sram kac google sra sorgulama site pr alexa sorgu seo sitesi google seo php script decode encode script encode decode